quinta-feira, 27 de junho de 2013

terça-feira, 25 de junho de 2013

Tinha de ter o índio do Defiance.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Acabou a Primavera

Quem diria? Um dos meus ódios de estimação a cantar a cena do ano. Existe um campo magnético em Spring Breakers. Um que transcende qualquer lógica ou teoria. Como se aquela confusão e repetição conseguisse de facto infectar o espectador. Asisitindo impotente ao fim da fé. Não é por acaso que elas vão regressando e no final apenas a insanidade, o pico daquela juventude sem nada. Entoando clássicos da infância, lembrando que ela é apenas estrada para a perdição e que todos acabamos neste caos sem sentido. E dele resultam aqueles ícones raros tão difíceis de nascer. Haverá imagem mais marcante este ano do que Franco a cantar Everytime enquanto três adolescentes encapuçadas dançam com o oceano? Penso que não.

domingo, 23 de junho de 2013



Sim a Michelle Rodriguez é de facto a pior actriz do mundo


Já não ouvia uma salva de palmas assim desde que o Brosnan conseguiu apanhar o avião de mota. Aqui o Toretto saltou e apanhou foi a Letty. Uma das muitas cenas absolutamente surreais que Furious 6 nos tem para oferecer e que teve direito a merecida ovação. Esquece a estrutura de heist movie - muito bem sacada pelo antecessor - e arranca numa roda viva milionária, para rir, abrir a boca e curtir. Acima de tudo é para curtir como eles, amigos de copos que se juntam para mais um. E se alguém se atreve a pensar que já chega leva logo com a cena escondida para acalmar. Ah pois, sem hipótese de recusa.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Prometheus 2 já tem argumentista. O que é bom pois o primeiro não teve.

Howard Shore (2)

Em português "Empregos"

Eu ia jurar que o gordo nerd do Jobs aparece como gordo nerd noutros trinta filmes. Fui informar-me e pelos vistos não. Estranho. Mais pontos de interesse do trailer? Ao que parece o Kutcher vai poder fazer de velhinho mal caracterizado e há uma parte da vida do senhor que ele foge em retiro espiritual tipo o Batman. Não sabia. 
O que novo filme da Lego vem trazer é inimizades desnecessárias. Numa altura em que trekkers e os fãs de Star Wars se começavam a beijar na boca, graças ao padre Abrams, eis que do nada surge nova faísca para violento confronto. Eu não quero tomar já partidos mas se a coisa estalar estarei obviamente do lado dos Playmobil
Dizem que é o Silver Linings Playbook mas com gente feia. 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Howard Shore



A questão das susceptibilidades

Uma vez fomos comer a um restaurante onde a picanha sabia a peixe. Sabia, cheirava e só não era peixe por acaso. Um amigo meu, que conhecia a dona, fez a abordagem delicada - sabe um bocadinho a peixe - disse. Um bocadinho nunca magoou ninguém. Isto para dizer que vi o The Evil Dead e que me encontro nesse delicado dilema. Como é que explico, sem ferir, que para mim, esse super clássico de culto, não tem um bocadinho de ponta por onde se lhe pegue?

terça-feira, 18 de junho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

When Brave Bird Saved

Já sou avô?


Dono desnaturado. O blogue faz seis anos - 5 de maio - e ele nem passa cartão. Nem um bolo de arroz com vela marca Continente a assinalar a data. Lamentável. Esqueci-me, lembrei-me, hoje, ainda na cama. Já vão seis, assim às escondidas. Uns meses mais cheio, outros mais triste. É mesmo assim e é esse feito que me continua a encantar: ser por um lado refúgio e por outro reflexo, esconder mas espelhar o que me assombra. Isso só é possível numa história de amor, como esta. Obrigado a todos que por aqui param, sem promessas nem compromissos.

domingo, 16 de junho de 2013

Os homens do Gatsby

GRANDE
- Leonardo Di Caprio. Já me rendi. Não há como contornar a sua solidez, empenho e dedicação. Afunda-se no desespero e carrega o filme às costas. O único verdadeiro actor.

PEQUENO
- Baz Luhrmann não descansa nem deixa descansar. Não percebe o que a história precisa e não deixa a cena ser cena. Não se respira. Sempre que os diálogos começam a abrir ele fecha-os com música, côr ou pirotecnia. Como se ele próprio usasse o papel de anfitrião para esquecer a realização.
- Tobey Maguire faz a mesma figura desde que começou a fazer papéis. Aqui, no cavalinho das corridas, no aranhiço, os olhos, as palavras, são exactamente as mesmas. Fraquinho fraquinho. 

A ZON Lusomundo já corrigiu o erro e traduziu acertadamente Man of Steel para Homem de Roubar. Assim sim.

sábado, 15 de junho de 2013

Pôr a pilinha na prateleira e comprar bilhete para o The Great Gatsby. Até logo.

Jovem procura teoria

Não façam o que eu fiz, ver o Upstream Color sozinho. Sobra logo um grito de apelo, para a conversa e o diálogo. Uma enxurrada de ideias à procura de liberdade e partilha. É toda uma experiência que precisa de mais sentidos, cinco não chegam. Está aí alguém?

quinta-feira, 13 de junho de 2013

As idas à casa de banho nunca mais foram iguais

Frequently Asked Questions About Time Travel devia ser esfregado nas fuças de todas aquelas americanadas hormonais que ano após ano nos entopem os cinemas. Para que seus autores percebessem o que é classe e respeito. Não só pelo tema escolhido mas pelo espectador, sedento do entretém e do desafio. 

Qualquer maluquinho das viagens do tempo - eu - vai para este filme com a urgência de um fim de mundo e a exigência de um júri fodido. Não é fácil, propor uma enciclopédia visual sobre um dos grandes pilares da ficção científica cinematográfica. Ainda para mais quando estamos a falar de uma comédia baratuxa. Três amigos, num bar, a falar. É isto, e isto resulta. Classe e respeito, como eu disse em cima: no sabor sublime do humor e no cuidado minucioso de nada ficar para trás. De igual para igual, de fã para fã, como se estivessemos também com eles, de cerveja na mão, a discutir este e aquele paradoxo. Absolutamente imperdível.
Ninguém merece duas vezes os piercings do Rodrigo Santoro.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

E que série ando eu a ver?

Lá sai a biografia da praxe

Naomi Watts como Diana. Quem será o Príncipe Carlos, o Simon Baker? Ou um sacana ainda mais bonito? E estará a actriz a preparar-se para o seu primeiro Oscar e posterior carreira de bostas cinematográficas. Não faças isso à tua vida rapariga. 

terça-feira, 11 de junho de 2013

Salta anão, cai anão, foge anão, aparece dragão. Só o trailer já cansa.

Não te vás embora Soderbergh


lhe chamam o Wild Things do novo milénio. Estou a brincar, eu é que lhe chamo o Wild Things do novo milénio porque tem lésbicas extremamente atraentes. Aos linguados e tudo. Estou a brincar de novo, não é só por isso. É que sem grandes pretensões, pela calada, sai um thriller com tudo no sítio. Em constante apneia. Curto e eficaz. De volta em volta para no final parecer que é fácil.   

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Para ti amigo

O meu amigo Carlos, aquele que foi ver a biologia Charlie´s Angels ao cinema, pediu-me para colocar aqui uma música do Pitch Perfect. Eu não sei do que se trata porque não vejo este tipo de cinema.

Mas porque é que os maus insistem nisto

Muito respeito por um filme que:
- Mata logo a Ashley Judd, apesar do Morgan Freeman andar por lá;
- Mata um cão;
- Rebenta com a Casa Branca em 13 minutos;
- Tem o mau do Die Another Day que já não era mau desde o Die Another Day;
- Oferece mais de uma dezena de facadas na cabeça;
- Tem uma banda sonora tão testosterónica.

E que deus abençoe a América.

sábado, 8 de junho de 2013

Fui ao médico e disse-lhe que ia ver o filme da Casa Branca. Ele perguntou qual deles. Não respondi e saí porta fora. Detesto quando os profissionais de saúde são assim indiscretos. 

Cause

Um sem fim de sonhos este Searching For Sugarman. Acordar não é permitido, e a música lá nos vai lembrando disso. Cada uma, desculpa para uma acção, para outra história, que se quer sempre assente no inacreditável. Como pode ser isto? Como pode o mundo ser lugar de tantos mundos? Um sem número de cosmos que nos obrigam a sermos simples. Ele lá o é, com a sua guitarra ao longo da neve, e o gigantesco nada que nos deixa inevitavelmente optimistas. 

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Crítica da semana: Warm Bodies


Dizem que o Kubrick estava aborrecido


Uma tarde bem passada. Sessão dupla, The Shining e seu ovni contemplativo Room 237. Só podia ser assim, ou devia ser assim, para se mergulhar de cabeça. Na obra e seu respectivo legado. O que mais assusta não são as teorias, que ficam ou não dependendo das crenças, mas sim o que seu conjunto representa: algo maior que alguma coisa. A paixão de procurar mais e de encarar os momentos como constantes desafios. O cinema na sua forma mais humana, orgânica, a mutar rumo a eternidade. Ela, a sua última fronteira. 

terça-feira, 4 de junho de 2013

O regresso



Só para avisar que a Linden já voltou

Obrigado ao Shane

É de tal forma o entorpecimento que a ideia de engenho parece, à partida, rídicula. Parva. Quem é que conseguiria enganar o menino. Este rei da perspicácia e da mania, antes é que era bom digo e repito. Pois, Shane Black trocou-me as voltas e por isso merece o meu sólido respeito. Vénia. Bem estranhava, a escassez de imagens, de cenas, a repetição de Mandarim ao longo da promoção. Com aquele sentimento do estranho, mas sem capacidade de levantar a cortina. E voltar a ser surpreendido, a ser mesmo surpreendido numa sala de cinema, é inspirador. 

domingo, 2 de junho de 2013

Da Rússia sem amor

Ah desculpe foi engano. Ou então quando se entra de rompante e alguém na boa da relação. É desligar ou fugir. Não pode ser. Mas é. O comando não estava frouxo. Era mesmo um Die Hard. Parei na parte da perseguição com carrinhas e merdas. Adormeci, mas é como se tivesse parado porque duvido muito que lá volte. Raios vos partam a todos. 

sábado, 1 de junho de 2013

Spoilers parentais


Eu tenho um acordo de cavalheiros com os meus pais. Boas séries. Em troca, silêncio absoluto até estarmos ao mesmo nível. Claro que, o entusiasmo leva ao debate e dou por mim no meio de informação relevante, spoilers maciços que me acertam entre o quarto e a casa de banho. Desta forma fui obrigado a ver Broadchurch de emergência. Oito episódios em menos de dois dias para manter a segurança do mistério, para o bem do não-chibanço. E confesso que assim até soube melhor, férias naquele sossegado recanto à beira mar. Magnífico policial inglês, com o retinque de quem sabe muito de pessoas e de quem não precisa de traduzir coisa alguma. A música é belíssima, o suspense afinadíssimo e a dupla protagonista é, indiscutivelmente, uma das melhores do ano.

Para assinalar a data

 Era esta ou a do Stand By Me, com vómito também.

Now an important message from Ethan Hawke and Julie Delpy